Toda e qualquer conexão e transmissão de informações sem fio pode ser chamada de Wireless, termo que significa literalmente “sem fio” em inglês.

A conexão entre o controle remoto e a sua TV, ou então entre o seu celular e uma caixa de som Bluetooth são exemplos desse tipo de conexão. Entretanto, o termo é principalmente usado quando o assunto é WiFi, que é, nada mais nada menos, do que um sistema de internet Wireless.

Aliás, o próprio termo WiFi significa “Wireless Fidelity” (Fidelidade sem fio), termo criado a partir de uma expressão usada por gravadoras nos anos 50, o famoso “Hi-Fi (High Fidelity, alta fidelidade). Mais tarde a expressão foi registrada pela associação Wi-Fi Alliance e se popularizou.

Hoje em dia, o sinal de WiFi é provavelmente a primeira coisa que procuramos quando chegamos em um lugar. Mas você sabe como funciona a internet wireless?

Sinal local

Existem quatro tipos de sinais Wireless: WPAN, que é usado para sinais de Bluetooth; WWAN, para serviços de telefonia celular; WMAN, para áreas metropolitanas; e WLAN, o tipo de sinal mais importante quando o assunto é internet doméstica, usado pelos aparelhos com conexão WiFi.

Antes de se tornar WLAN, entretanto, sua internet chega por cabos até seu roteador. Essa conexão é chamada de Access Point (Ponto de Acesso). Nesse momento, seu aparelho transforma todas as informações recebidas em ondas de rádio – ondas essas que caracterizam o sistema de WLAN ou Wireless Local Area Network (Rede Local Sem Fio).

Esse sinal será recebido e decodificado por aparelhos como notebook e smartphones em forma de WiFi, se tornando a internet que você usa e parte imprescindível de como funciona a internet wireless.

Esse sinal pode ter diferentes alcances, dependo da capacidade do seu roteador. A área de alcance do sinal é comumente chamada de “Hotspot”, ou seja, locais em que os aparelhos conseguem se conectar com a rede WiFi.

Frequência

Como qualquer onda de rádio, as ondas Wireless trabalham com tipos de frequência – ou seja, diferentes faixas em que as ondas podem ser transmitidas para que não façam interferência umas com as outras. Essas frequências são fatores importantes na forma como funciona a internet wireless, e podem ser modificados pelo próprio usuário.

Existem três principais padrões de frequências usados pelos roteadores domésticos: 802.11a, 802.11b, e 802.11g. Cada um deles apresenta características próprias e vantagens e desvantagens, dependendo do ambiente em que seu roteador está instalado e do seu objetivo de uso.

O primeiro, 802.11a é o padrão menos usado e por isso o mais confiável. Oferece conexão mais rápida, porém redução de velocidade para longas distâncias, já que tem alcance reduzido: aproximadamente 30 metros.

O segundo, 802.11b é padrão mais usado. Sua velocidade é inferior ao primeiro padrão, mas oferece maior alcance, de 80 a 100 metros, mesmo com velocidade prejudicada.

Já o terceiro, 802.11g, é usado por alguns fabricantes de redes Wireless e se trata de uma fusão dos dois padrões de frequência anteriores, ou seja, oferece vantagens presentes nos dois. Entretanto, ainda pode sofrer interferências de outros aparelhos e redução na velocidade conforme a distância do aparelho.

Share This